domingo, 8 de maio de 2011

Não faças aos outros o que não gostavas que te fizessem a ti...

Depois de ter lido este post no blog Cocó na fralda não pude deixar de vir aqui para o estaminé debitar umas postas de pescada...
Em primeiro lugar tenho a dizer que teria feito o mesmo que a Sónia,interferir é mesmo comigo,meto a colher em tudo o que é sítio,já cheguei inclusivamente a levantar-me do meu lugar no autocarro para ir bater nas costas de um senhor que estava engasgado...that's my thing.
Em segundo lugar tenho a dizer que já presenciei uma situação do género,num restaurante,quando fomos festejar o quarto aniversário do Gui:
Estava um casal numa mesa próxima à nossa e pelo que percebi o filho,que devia ser apenas um pouco mais velho que o Gui pediu uma francesinha mas não queria comer mais e a mãe começou a ameaçá-lo baixinho enquanto lhe dava beliscões nos braços e nas pernas para ninguém se aperceber...Ora,eu apercebi-me e disse-lhe que tinha noção que as francesinhas eram caras mas que ali se podia pedir para embrulhar e levar para casa que eles não cobravam mais por isso,escusava de estar a submeter  a criança aquele tipo de tortura e que além do mais aquilo não eram maneiras de se castigar um filho.
E falei alto para toda a gente a censurar...
O marido levantou-se para pagar,ela disse-me que o filho era dela e que fazia o que queria e puxou pelo colarinho da criança para o fazer levantar.Foram-se embora e nunca mais os vi,mas este dia nunca me saiu da memória porque logo a seguir o Gui virou-se para nós e declarou estupefacto:
-Não sabia que os pais podiam bater nos filhos!
Em terceiro lugar e para fim de conversa só tenho a dizer isto:
Os filhos não são propriedade nossa!
Eles tem a sua individualidade,a sua própria personalidade,os seus gostos e nunca os podemos castigar por fazerem algo alheio à nossa vontade senão eles nunca crescerão felizes!
Eu nunca tento moldar o Gui à minha maneira senão nunca poderia descobrir quem ele é de facto!
Temos que deixar os nossos filhos exprimirem-se,fazer as coisas à vontade deles e deixá-los viver e ser crianças à vontade!
O Gui não é perfeito,às vezes "esquece-se" de acordar e faz um chichi na cama,noutras parte coisas...e eu?Ralho-lhe?
Como poderia,se eu em criança era exactamente igual?
Super distraída,super desastrada...e ainda agora me farto de perder tralhas?
Os lençóis lavam-se e as coisas substituem-se (é a vantagem de não ter em casa nada excessivamente caro!),mas as recordações ficam para sempre.
De que se irão lembrar as crianças maltratadas quando forem grandes?Crianças infelizes tornam-se adultos infelizes e é por isso que eu só castigo o Gui se tiver uma postura maliciosa e for mal-educado.
Temos que nos limitar a "corrigir" e repreender maus comportamentos.
E é só.
Porque ele é PEQUENINO e aos PEQUENINOS perdoa-se tudo!


Ah!Já que estou numa de dar conselhos:colocar capas laváveis nos sofás também é uma boa ideia,torna a nossa vida muito mais fácil!

13 comentários:

Ana FVP disse...

Waw! Estou de boca aberta.

Há pessoas que ao falarem/escreverem passam logo o que de fantástico têm. E tu pareces ser uma excelente mãe! MESMO!

Me,myself & I! disse...

Também não exageremos...
:)

Unhas pintadas e cia disse...

Eh complicado neh...

Beijoooo
Monique

http://unhaspintadasecia.blogspot.com

Néua disse...

Lembras-te de um post à uns tempos em que estavas a "duvidar" um pouquinho se estarias a fazer as coisas da melhor forma?

Devo dizer-te que é bom duvidar, que é bom questionar, até para fazermos uma avaliação de nós próprios, no entanto, quando estiveres com dúvidas, volta a ler este post :) acho que vais perceber o mesmo que eu depreendi...Podes ter os teus dias e ter pequenas falhas, mas o que te motiva e faz ser boa mãe, deve ser bem maior que essas pequenas falhas :)

D. disse...

Realmente!!! Que situações!!

Olha... Deixei-te um miminho lá no estaminé!! :)

Me,myself & I! disse...

Ei lá!
Ó Néua,deixaste-me aqui toda babada!

An@ disse...

Olha... obrigado!

Amei o post de hoje. Parabéns!

E tenho dito

Boa semana

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Infelizmente essas cenas sempre foram ( e continuam a ser...) bastante comuns em Portugal. O que me tem espantado nos últimos anos é que comecei a ver atitudes dessas em pais (e mães, principalmente mães) de países onde ainda há poucos anos ninguém batia numa criança. refiro-me, essencialmente a países nórdicos e Alemanha.

Néua disse...

Eu deixo ficares babada :P

Myann disse...

Não vou dizer que fiquei estupefacta, porque não é coisa que não tenha visto acontecer aqui ou ali por mais de uma vez... O grito e a pancada é sempre "the easy way". Muitos pais, infelizmente, estão preguiçosos demais para ensinar da maneira que lhes custa a eles... Não gosto nada. Nadinha mesmo! Gostei da tua atitude! :) beijinho*

cristina claro disse...

Minha Di, eu qdo vejo "gado vacum" a bater em crianças ou animais, passo- -me da marmita!!!!!! Do meu 1,55m, cresço, e APAREÇO, barafusto, gesti-
culo, vocifero, ralho, insulto e se a BESTA/BOSTA ainda se achar com razão e vier com intenções de me agredir, não me ensaio nada de lhe espetar umas unhadas na focinheira!!!!!

Eu levei mta porrada da minha mãe, pq fazia asneiras e qdo ela descobria e me questionava eu mentia e ela perdia a cabeça e zás catrapás!!!!!!!!!! Ainda hj qdo me gritam ou fazem um gesto brusco eu fico em estado de choque e levo tempo a reagir, mas se vejo crinaças, animais ou gente indefesa a ser agredida e/ou insultada, torno-me na Super Cristina!!!!!!!!!

E eu q na escola até aos 13 anos fui gato sapato de toda a gente, era alvo de bullying e sofria em silêncio, mas depois qdo cresci comecei a defender os mais fracos e os mais pequenos q eu...:)

Haja alguém com ELES NO SÍTIO p DOMESTICAR essa gente acéfala e agressiva!!!!!!!!!!!

Fi ♥ disse...

Isso chama-se saber educar, espero ser assim enquanto mãe... Parabéns*

Ana disse...

Uma verdadeira inspiração :) Quando for mãe, vou encher-te de perguntas!